sexta-feira, 25 de junho de 2010

Campeonato do Mundo da FIFA França 1938


DADOS
ü  Equipas:  15
ü  Quando:  04 Junho 1938 para 19 Junho 1938
ü  Final:  19 Junho 1938
ü  Jogos:  18
ü  Golos:  84 (média 4.7 por partida)
ü  Público:  376177 (média 20898)
ü  Campeão:  Itália
ü  Vice-campeão:  Hungria
ü  Terceiro:  Brasil
ü  Quarto:  Suécia
ü  Melhor marcador:  LEONIDAS (BRA)
RESUMO
Com as nuvens da guerra fechando o tempo sobre a Europa, o terceiro campeonato do Mundo da FIFA aconteceu em meio a muita tensão, mesmo assim, o futebol proporcionou momentos de alegria aos adeptos em um festival que durou 15 dias. O Brasil encantou o mundo com um estilo exuberante, mas foi a Itália que se sagrou campeã graças à sua força e regularidade.
Além do treinador Vittorio Pozzo, somente quatro campeões mundiais em 1934 voltaram a defender a Itália na competição em solo francês. Dois deles, os médios Giuseppe Meazza e Giovanni Ferrari, tiveram participações decisivas ao lado do atacante Silvio Piola, que marcou dois golos na vitória por 4 a 2 sobre a Hungria na decisão. Com o resultado, a Itália foi a primeira selecção da história a conquistar o segundo campeonato consecutivo do mundial da FIFA, feito que só viria a ser igualado pelo Brasil 28 anos depois.
A competição em 1938 foi o último grande evento desportivo antes da guerra no ano seguinte. A Espanha já sofria com a guerra civil e não pôde viajar até a vizinha França. Já a anexação da Áustria pela Alemanha reduziu o número de participantes de 16 para 15. Na verdade, diversos jogadores austríacos apareceram na selecção alemã. Entre os sul-americanos, a Argentina (que queria ter feito o torneio em casa) e o Uruguai resolveram não participar, enquanto o Brasil viajou à Europa para fazer em uma encharcada Estrasburgo um dos jogos mais emocionantes de toda a história da Copa do Mundo da FIFA.
Leônidas faz sete

O ponta de lança brasileiro Leônidas da Silva marcou três golos na vitória brasileira por 6 a 5 sobre a Polónia na primeira fase do torneio, mas quem entrou mesmo para os livros de história foi o polaco Ernest Wilimowski. Ele foi o primeiro jogador a marcar quatro golos em uma partida do Mundial. Os dois primeiros empataram um jogo que estava 3 a 1 para o Brasil e o terceiro garantiu o placar de 4 a 4 que levou a partida para o prolongamento, mas Leônidas, que havia aberto o marcador, marcou mais dois no tempo extra e impôs uma vantagem que o quarto golos de Wilimowski não conseguiu igualar. Para Leônidas, era só o começo: ele foi o melhor marcador da competição com sete golos.
Duas selecções tiveram a sua primeira e única participação no maior evento do futebol mundial as Índias Orientais Holandesas (que viriam a se chamar Indonésia após a independência) voltaram para casa após levarem 6 a 0 da Hungria. Já Cuba empatou em 3 a 3 com a Roménia, forçou um jogo extra e chegou à segunda fase após derrotar os romenos por 2 a 1. Em ambas as partidas, os cubanos contaram com os golos de um jogador chamado Socorro, pois esse mesmo deve ter sido o grito de desespero dos atletas caribenhos enquanto eram demolidos por 8 a 0 no confronto diante da Suécia na fase seguinte.
Outro destaque da primeira semana foi a vitória da Suíça sobre a Alemanha em jogo extra após um empate em 1 a 1. Os suíços saíram perdendo por dois golos, mas viraram e venceram por 4 a 2. A Alemanha era treinada por Sepp Herberger, que levaria a estreante Alemanha Ocidental ao título mundial na Suíça 16 anos depois. Mas foi o homem no outro banco, o austríaco Karl Rappan, que atraiu a atenção pelo uso de um libero no sistema que ficou conhecido como o "ferrolho suíço".
Por causa do clima político, a presença das selecções da Alemanha e da Itália gerou protestos contra o fascismo, enquanto os alemães foram para casa mais cedo, a Azzurra de Pozzo foi crescendo a cada partida, galvanizada pelo desejo de mostrar que a vitória em 1934 não havia acontecido somente pela vantagem de jogar em casa.
Itália elimina a anfitriã
Depois de superar a Noruega com um golo de Piola no prolongamento a selecção medalha de ouro nas Olimpíadas de 1936 eliminou a França nos quartos de final diante de 59 mil espectadores no Estádio Olímpico de Colombes, na periferia de Paris. As duas primeiras edições da Copa do Mundo da FIFA haviam ficado com a nação anfitriã, mas a escrita chegou ao fim após Piola garantir com dois golos a vitória da Itália, que jogou de preto por ordem do ditador Benito Mussolini.
Aquela não foi a única polémica dos quartos de finais porque o encontro entre Brasil e Checoslováquia em Bordeaux acabou em confusão com três cartões vermelhos e dois membros fracturados no empate em 1 a 1. O guarda-redes checoslovaco František Plánička quebrou o braço, enquanto o ponta de lança Oldřich Nejedlý, melhor marcador da competição quatro anos antes, teve a perna quebrada depois de empatar o confronto.
Leônidas que abrira o marcador no primeiro jogo, foi um dos dois brasileiros mantidos para a repetição da partida, ele marcou o golo do empate antes de o Brasil virar e garantir a classificação para a sua primeira semifinal. Após os dois confrontos, Leônidas não foi chamado pelo treinador Ademar Pimenta para a semifinal contra a Itália em Marselha. A escolha equivocada acabou custando caro, pois a Azzurra fez 2 a 1 em um jogo abaixo das expectativas. De volta para a decisão do terceiro lugar Leônidas marcou dois golos sobre a Suécia e encerrou a campanha em que ganhou o apelido de Diamante Negro dos torcedores europeus.
A outra semifinal ocorreu entre Hungria e Suécia onde os escandinavos queriam comemorar o 80º aniversário do Rei Gustavo V com uma vitória mas foram os húngaros que confirmaram a condição de melhor ataque da competição com uma vitória por 5 a 1 no Parque dos Príncipes. Três dos golos foram marcados por Gyula Zsengellér.
Mas aquela foi a última felicidade da Hungria de Alfréd Schaffer, que foi dominada na final pela Itália de Ferrari e Meazza os "artesãos da vitória" conforme o jornal L'Autodo no dia seguinte. Pál Titkos chegou a empatar para os húngaros logo após Gino Colausi abrir o marcador aos seis minutos, mas no intervalo a Itália já vencia por 3 a 1 graças aos golos de Piola e Colausi novamente. Em todos os três golos as jogadas foram criadas por Meazza. György Sárosi renovou as esperanças da Hungria aos 25 do segundo tempo mas o rápido, forte e produtivo Piola deu números finais ao placar com mais um golo para garantir o bi-campeonato da Itália.
CURIOSIDADES
Rasgado em um lance durante o jogo, o calção do italiano Giuseppe Meazza caiu após ele marcar um golo de penalt na vitória por 2 a 1 sobre o Brasil;
Cuba foi a primeira selecção de fora da Europa ou da América do Sul a passar da primeira fase, mas foi logo em seguida eliminada pela Suécia ao sofrer uma goleada de 8 a 0;
Checoslováquia e Holanda ficaram no zero em 90 minutos mas três golos no prolongamento garantiram a goleada e a classificação dos checoslovacos aos quartos de final;
Na sua única partida, o polaco Ernest Wilimowski fez quatro golos mas eles não foram suficientes para evitar a derrota por 6 a 5 para o Brasil após a prorrogação;
Em sua estreia, a Hungria eliminou as Índias Holandesas Orientais (actual Indonésia) única selecção a ter jogado apenas uma partida em toda a história da Copa do Mundo da FIFA.