segunda-feira, 28 de junho de 2010

Copa do Mundo da FIFA Suécia 1958




DADOS
·         Equipas: 16
·         Quando: 08 Junho 1958 para 29 Junho 1958
·         Final: 29 Junho 1958
·         Jogos: 35
·         Golos: 126 (média 3.6 por partida)
·         Assistência: 905830 (média 25880)
§  Campeão: Brasil
§  Vice-campeão: Suécia
§  Terceiro: França
§  Quarto: Alemanha Ocidental
§  Melhor marcador: Just FONTAINE (FRA)
§  Prémio de Melhor Jogador Jovem: PELÉ (Edson Arantes do Nascimento) (BRA)
RESUMO
Os dias longos e ensolarados do verão sueco formaram o cenário dourado do primeiro triunfo do Brasil na Copa do Mundo da FIFA em 1958 mesmo ano em que um jovem jogador de 17 anos chamado Pelé anunciou a sua presença aos admiradores do futebol espalhados pelo planeta.
Com uma nova organização táctica e dois génios no ataque Pelé e Garrincha o Brasil derrotou a Suécia por 5 a 2 na final disputada no Estádio Rasunda e se tornou o primeiro país a erguer a taça em outro continente. Mas os brasileiros não foram os únicos heróis do torneio o melhor marcador do Mundial com 13 golos em seis jogos o ponta de lança francês Just Fontaine estabeleceu um recorde que permanece até hoje e ainda ajudou seu país a conquistar o terceiro lugar nada mal para um jogador que só foi convocado devido à lesão do titular René Bliard.
Sob o comando do treinador Vicente Feola a seleção brasileira não tinha deixado pedra sobre pedra durante a preparação para o desafio de finalmente chegar ao topo do mundo após três meses de treinamento intensivo os brasileiros excursionaram pela Europa antes de chegarem à Suécia com uma grande delegação da qual fazia parte até mesmo um psicólogo. Feola fez um inovador sistema 4-2-4 mas só colocou Pelé e Garrincha na última partida da fase de grupos contra a União Soviética com Pelé fazendo companhia a Vavá no ataque e Garrincha actuando pelo flanco o Brasil venceu os soviéticos por 2 a 0 e garantiu o primeiro lugar.
A anfitriã Suécia chegou à final fortalecida pela decisão de permitir que jogadores profissionais actuassem pela selecção nacional a medida possibilitou o retorno de atletas que jogavam na Itália sobretudo de Gunnar Gren e Nils Liedholm astros do grupo que havia conquistado o Torneio Olímpico de Futebol de 1948 e do jovem atacante Kurt Hamrin no entanto a preparação dos suecos não havia sido nada comparada à do Brasil Bengt Gustavsson por exemplo outro jogador do contingente italiano — o mesmo que levaria um chapéu de Pelé na decisão —, juntou-se à selecção apenas três dias antes da partida de estreia.
A torcida sueca
a equipa sueco dirigida pelo técnico inglês George Raynor era forte mas as expectativas eram baixas mesmo terminando no primeiro lugar do grupo alguns jogadores chegaram a fazer as malas antes dos quartos-de-final contra a União Soviética mas a Suécia derrotou os soviéticos por 2 a 0 e despachou a Alemanha Ocidental com um 3 a 1 na semifinal em Gotemburgo. A Alemanha treinado pelo treinador Sepp Herberger tinha Uwe Rahn autor de seis golos e Uwe Seeler que fez as cinco primeiras das 21 participações consecutivas que ele registara na Copa do Mundo da FIFA. Os alemães ficaram muito incomodados com o patriotismo da torcida sueca que ao contrário dos costumes da época apoiou e cantou pela sua selecção durante toda a partida.

Pela primeira vez a Copa do Mundo da FIFA recebeu cobertura televisiva internacional embora não nos países do Leste Europeu cujo sistema era incompatível — uma pena para a estreante União Soviética. O País de Gales e a Irlanda do Norte que haviam-se classificado ao eliminar a Itália também faziam a sua estreia no Mundial. Com a presença da Inglaterra e da Escócia os quatro seleccionados britânicos estiveram juntos na Copa do Mundo da FIFA pela primeira e única vez até hoje. As esperanças da Inglaterra foram abaladas pela perda de vários jogadores importantes em um acidente aéreo na Alemanha em Fevereiro daquele ano. Mesmo conseguindo um empate sem golos com o Brasil (o primeiro da história do torneio) os ingleses perderam para os soviéticos o jogo extra por uma vaga nos quartos-de-final.
Já o País de Gales e a Irlanda do Norte venceram as partidas de desempate da primeira fase contra Hungria e Checoslováquia respectivamente o curioso é que a selecção galesa havia-se classificado para a Suécia 1958 de maneira inesperada vencendo uma repescagem fácil contra Israel cujos adversários haviam desistido por razões políticas os galeses aproveitaram a oportunidade e avançaram aos quartos-de-final para enfrentar o Brasil sem a presença do astro John Charles lesionado na vitória sobre os húngaros o País de Gales perdeu por 1 a 0. Pelé fez o único golo da partida e o primeiro dos 12 marcados em quatro edições da Copa do Mundo da FIFA.
Chuva de golos francesa 
Depois de derrotar uma selecção húngara desfalcada dos exilados Puskás e Kocsis a Irlanda do Norte enfrentou a França nos quartos-de-final e perdeu por 4 a 0 com Just Fontaine aproveitando o brilho criativo do companheiro Raymond Kopa recém-coroado campeão europeu pelo Real Madrid e eleito o Jogador Europeu do Ano os franceses superaram até o mesmo o Brasil em número de golos com 23.

A semifinal entre França e Brasil se revelou o jogo mais electrizante do torneio Vavá abriu o marcador e Fontaine empatou logo em seguida mas os brasileiros foram para o intervalo novamente em vantagem no marcador com um golo de Didi. No segundo tempo Pelé assumiu o comando e marcou três golos selando a vitória de 5 a 2 sobre os franceses que terminaram a partida com um homem a menos depois da lesão do Bob Jonquet.
Vestindo camisas azuis improvisadas para evitar confusão com o uniforme dos anfitriões a selecção brasileira imprimiu outros cinco tentos na grande final da Copa do Mundo da FIFA ignorando o golo de Liedholm que abriu o marcador para a Suécia com apenas quatro minutos de jogo Vavá e Pelé balançaram as redes duas vezes cada um Zagallo que mais tarde também seria campeão mundial como técnico fechou a goleada o terceiro golo brasileiro entrou para a história do futebol mundial: Zagallo levanta para a área Pelé domina no peito dá um chapéu em Gustavsson e finaliza de sem-pulo sem chances para o guarda-redes Karl Svensson.
Os brasileiros já haviam caído nas graças da população local pela simpatia e cordialidade fora de campo e comemoraram a conquista da Jules Rimet dando a volta olímpica com a bandeira da Suécia o rei Gustavo Adolfo também foi ao relvado felicitar os campeões do mundo — aprovação distinta pelo triunfo comandado por um jovem que muito em breve também seria chamado de Rei.
CURIOSIDADES
Gunnar Gren estreou pela selecção da Suécia no dia 29 de agosto de 1940 menos de dois meses antes do nascimento de Pelé contra quem actuou na final em 1958;
Durante a competição oito jogadores que actuaram pelo Paraguai deixaram equipes do país sul-americano e foram contratados por clubes estrangeiros;
A edição de 1958 foi a única Copa do Mundo da FIFA com a participação de todas as nações representantes do Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte Galeses e norte-irlandeses chegaram aos quartos-de-final;
Guillermo Stabile que actuara na goleada de 6 a 1 do seu país sobre os Estados Unidos em 1930 sofreu uma derrota pelo mesmo placar como treinador da Argentina contra a Checoslováquia em 1958.
Apesar de ter chegado à sua sexta edição a Copa do Mundo da FIFA só foi ter o seu primeiro 0 a 0 na partida entre Brasil e Inglaterra resultado repetido por Gales e Suécia quatro dias depois.