terça-feira, 24 de julho de 2012

Não tem mal nenhum

*Artigo de Opinião*

De todos os males do mundo não ter “mal” nenhum é o pior de todos. Acontece normalmente quando se está desprovido de norte e se está acomodado no bem-estar da inanidade.

Muita gente confunde o bem-estar com o estar sem preocupações e destituído de reptos da vida. Errado! A existência é ela toda feita de desafios e aí é que está o cerne da vivência.


Longe de mim ser masoquista, ou desapreciadora das coisas belas da vida! Sou daqueles que acreditam que na existência, a luta, a procura de um sentido de vida, são requisitos essenciais para se alcançar a plena realização. E esta é feita adicionando prazer e gosto a tudo o que fazemos.


Mas vejamos: o contrário está tão impregnado no íntimo das pessoas, de todas as idades e de todos os níveis sociais, que chegamos a tal ponto que: Os alunos querem passar sem estudar, os professores querem dar aulas sem ensinar; Os filhos querem autonomia sem obediência e os pais querem ser progenitores sem educar; Os vendedores querem ganhar sem vender e os compradores adquirir sem comprar; Os amantes querem Amor sem amar e os Amigos amizade sem bem-querer; Os ascéticos santificar-se sem meditação e as pessoas de fé chegar ao Céu sem oração …enfim, uma panóplia de contrastes que igual só possível na Terra do S. Nunca, no dia 29 de Fevereiro do ano de mil, novecentos e jamais-acontece!


E nesta busca de encontrar sem procurar, neste corre-corre utilizando a lei do menor esforço, descobrimos a seguinte verdade: se aplaude os que nada fazem, se elogia os que desmerecem, dá- se o trono ao vilão e afunda-se a realeza!


E nós todos plácidos e coniventes, vamos assistindo a isso ante os nossos olhos! E como estamos todos contaminados pela febre de querer “não ter mal nenhum “ viramos para o lado, para não ter de enfrentar a dura realidade de ter que fazer alguma coisa! Porque é melhor não ter mal nenhum!


Elsa Furtado