sábado, 10 de julho de 2010

Copa do Mundo da FIFA Argentina 1978


DADOS
·         Equipas: 16
·         Quando: 01 Junho 1978 para 25 Junho 1978
·         Final: 25 Junho 1978
·         Jogos: 38
·         Golos: 102 (média 2.7 por partida)
·         Assistência: 1550424 (média 40800)
§  Campeão: Argentina
§  Vice-campeão: Holanda
§  Terceiro: Brasil
§  Quarto: Itália
§  Melhor marcador: Mário KEMPES (ARG)
§  Prémio de Melhor Jogador Jovem: António CABRINI (ITA)
§  Prémio FIFA Fair Play: Argentina
RESUMO
Derrotada na final da primeira Copa do Mundo da FIFA a Argentina atingiu o topo 48 anos depois, em casa conduzida por Mario Kempes e pelos fervorosos torcedores que lotaram os estádios de Buenos Aires e Rosário com uma chuva de papéis azuis e brancos — imagem que se transformou em símbolo da competição.
Coadjuvante da festa argentina a Holanda perdeu por 3 a 1 no Monumental de Nuñez a sua segunda final consecutiva depois de um golo de Kempes no primeiro tempo e do empate com Dirk Nanninga na etapa final, os holandeses chegaram muito perto do título com uma chance clara de Rob Rensenbrink nos últimos segundos do tempo regulamentar mas o destino sorriu para a Argentina e Kempes e Daniel Bertoni conheceram a glória ao marcarem dois golos no prolongamento.
Kempes único jogador da selecção argentina que actuava no exterior não balançou as redes nenhuma vez na primeira fase mas depois desencantou e encerrou a competição com seis golos, ele não foi o único a ter um começo complicado — o seleccionado de César Luís Menotti venceu a Hungria mas precisou da sorte para derrotar a França por 2 a 1 e depois perdeu o primeiro lugar do grupo da primeira fase para a Itália no confronto directo por 1 a 0. Ainda assim Menotti que não convocara o jovem Diego Maradona então com 17 anos acabaria sendo recompensado por pregar um futebol baseado no talento e na ofensividade estilo personificado pelo habilidoso médio Osvaldo Ardiles.
Vitória africana e golaço escocês
A fase inicial testemunhou ainda a primeira vitória de uma selecção africana na Copa do Mundo da FIFA com a estreante Tunísia derrotando o México por 3 a 1. O  também debutante Irão por sua vez conquistou um ponto contra a Escócia. Únicos representantes britânicos na competição os escoceses se recuperaram e venceram a Holanda por 3 a 2 na última rodada da primeira fase em Córdoba com um golaço de Archie Gemmill mas ainda assim deram adeus à competição e viram os holandeses avançarem graças ao saldo de golos.

A competição tendo como pano de fundo o opressivo regime militar liderado pelo general Jorge Videla foi rica em polémicas. Logo na primeira fase os jogadores do Brasil não ficaram nada satisfeitos quando o árbitro galês Clive Thomas apitou o fim do jogo contra a Suécia segundos antes de a bola cabeçada por Zico cruzar a linha — com o golo anulado o jogo terminou em 1 a 1. Fora de campo o atacante argentino Leopoldo Luque optou por continuar jogando apesar da morte do irmão em um acidente de carro, já o escocês Willie Johnston foi flagrado no antidoping.
Um dos melhores seleccionados a voltarem mais cedo para casa a França chamou a atenção não só pela nada familiar camisa em listras verdes e brancas emprestada pela equipe local do Kimberly para o jogo contra a Hungria depois de uma confusão com os uniformes. Michel Platini de 21 anos deu provas da sua impressionante habilidade ao marcar o seu primeiro golo na competição contra a Argentina.
Assim como em 1974 os oito países classificados para a segunda fase foram divididos em dois grupos e a Holanda conquistou o primeiro lugar do Grupo A avançando à final comandada pelo austríaco Ernst Happel ex-campeão europeu com o Feyenoord a selecção sentiu a ausência do astro Johan Cruyff que decidira não disputar a competição e de Wim van Hanagem desfalque de última hora mesmo assim o ataque funcionou e Rensenbrink só ficou atrás de Kempes na artilharia.
Depois de vencerem a Áustria e empatarem com a então campeã Alemanha Ocidental os holandeses derrotaram a Itália na partida decisiva da segunda fase, Ernie Brandt marcou um golo para a Holanda e fez outro contra mas graças ao remate de longa distância de Arie Haan a Laranja Mecânica avançou à final. No mesmo dia Hans Krankl levou a Áustria à primeira vitória em 47 anos sobre a eliminada Alemanha Ocidental.
Brasil superado
A Itália de Enzo Bearzot adquiriu na Argentina uma experiência que viria a ser muito útil quatro anos depois na Espanha Paolo Rossi por exemplo fez três golos que foram um aperitivo do que viria em 1982 mesmo assim a
 Azzurra perdeu a medalha de bronze para o único invicto da competição o Brasil. A selecção brasileira apresentou ao mundo o atacante Roberto Dinamite e o lateral Nelinho responsável por remates inimagináveis cheios de efeito mas teve de se contentar com a disputa do terceiro lugar após ficar atrás da arquirrival Argentina na segunda fase.
Depois de um empate tenso Brasil e Argentina partiram para a rodada decisiva empatados após a vitória brasileira sobre a Polônia por 3 a 1 os argentinos precisavam de um triunfo por quatro golos de diferença sobre o Peru no mesmo dia para chegarem à final. Contando com o astro Teófilo Cubillas os peruanos haviam batido a Escócia e empatado com a Holanda na primeira fase mas já estavam eliminados da competição. A Argentina se aproveitou e conquistou a vitória pelo incrível placar de 6 a 0 com dois golos de Luque e Kempes cujo faro de golo havia retornado depois que a selecção alviceleste passara a jogar em Rosário sua cidade natal.
Os acontecimentos daquela noite fizeram com que as partidas decisivas das fases de grupos das edições posteriores da Copa do Mundo da FIFA passassem a ser disputadas simultaneamente. A consequência imediata no entanto foi a chegada de Argentina e Holanda à final do dia 25 de junho de 1978.
"Tulipas nos Pampas?" perguntou o jornal francês L'Équipe na véspera do jogo porém quem riu por último foi a selecção dona da casa enquanto os holandeses deixavam o campo às lágrimas mais uma vez o capitão Daniel Passarella se tornava o primeiro jogador argentino a erguer o troféu mais importante do futebol mundial.
CURIOSIDADE
Argentina, Holanda e Brasil os três primeiros colocados na competição ficaram em segundo lugar nos seus respectivos grupos na primeira fase;
Um golo contra de Ernie Brandts abriu o marcador para a Itália contra a Holanda pela segunda fase mas o mesmo jogador conseguiu estufar as redes do lado certo para ajudar a Laranja Mecânica a vencer por 2 a 1;
O guarda-redes peruano Ramón Quiroga recebeu cartão amarelo aos 44 minutos do segundo tempo por uma falta no polonês Grzegorz Lato. O Peru perdia por 1 a 0 e Quiroga foi obrigado a cometer a infracção na intermediária polonesa após se aventurar no ataque;
O húngaro László Kiss foi o primeiro jogador em todos os tempos a marcar três golos depois de entrar no decorrer de uma partida da Copa do Mundo da FIFA na goleada de 10 a 1 sobre El Salvador. Marcados entre os 24 e os 31 do segundo tempo os três golos foram o "hat trick" mais rápido da história da competição;
O meia-atacante Norberto Alonso ficou com a camisa um da Argentina após a numeração do país ser definida em ordem alfabética.