terça-feira, 21 de agosto de 2012

Entrevista ao Ivan Almeida que foi eleito o melhor jogador da Zona II

Ivan Freitas Almeida nasceu na freguesia de Nossa Senhora da Graça, Cidade da Praia, a 10 de Maio de 1989. Antes do Torneio da Zona II se perguntasse quem era Ivan Almeida apenas os amantes do basquetebol saberiam responder, hoje a qualquer pessoa perguntasse quem é ele e a resposta é mais menos essa: é midjor jugador de Cabo Verde.

Ivan Almeida de apenas 23 anos foi nomeado no Torneio da Zona II realizada na cidade da Praia como MVP (Most Valuable Player) ou seja o melhor jogador, mas ele tem muitos outros prémios. Conheça um pouco sobre Ivan Almeida e nunca deixe de apoiar o nosso desporto

Palmarés
  • (2012) Zona II - Torneio de qualificação para o AfroBasket  2013: Melhor jogador (MVP);
  • Campeão Nacional de Cabo Verde 2011/2012;
  • Melhor Atleta Basquetebol Cabo-verdiano 2010/2011;
  • Campeão Nacional de Cabo Verde 2008/2009;
  • (2010) Zona II - Torneio de qualificação para o AfroBasket 2011: Melhor jogador e entrou nos 5 melhores da competição;
  • Campeão Regional de Santiago Sul 2007/2008;
  • Campeão Regional de Santiago Sul 2008/2009;
  • Campeão Regional de Santiago Sul 2011/2012;
  • Campeão Regional de Santiago Sul Sub20 - 2009;
  • Campeão do campeonato Stonehill 2009/2010;
  • Campeonato Nacional de Cabo Verde: MVP época 2010 e 2011;
  • Campeonato 2008 Santiago Sul pelo Seven Stars: MVP;
  • Campeão do Campeonato Júnior B época 2006/2007 pela Ovarense;
  • Participação nos jogos da CPLP em 2005.
Aonde iniciaste a tua carreira? Porque clubes já jogas-te?
Comecei pela escola de formação AMIBASKET na Praia e já representei:
Bairro, Seven Stars e o Sporting em Cabo Verde, todas da Praia. Ovarense e Sampaense (Portugal) e Stonehill College (EUA).


Quantas internacionalizações tens pela Selecção? 
2012 – Torneio Zona II Praia Cabo Verde - 6 jogos
2011 – All African Games – Maputo, Moçambique - 5 jogos
2010 -  Torneio Zona II - Dakar Senegal - 6 jogos
2009 – Lusofonia – Lisboa , Portugal - 4 jogos
2009 – Afrobasket 2009 , Líbia - 4 jogos
2006 – Lusofonia , Macau -3 jogos
2005 – Sub 16, Luanda , Angola - 4 jogos
Um total de 32 internacionalizações










Qual o titulo que mais tencionas vencer tanto a nível de clubes como a nível da selecção? 
Tudo possível.

Qual o clube que mais te marcou?
Bairro, este ano.

Quem é o teu jogador de referencia, que mais admiras?
Michael Jordan, melhor jogador de Basquetebol de todos os tempos e o mais completo!

O nosso basquetebol tem apoio suficiente?
O nosso basquetebol precisa de melhor organização e mais apoios.

Consideram-te o melhor jogador cabo-verdiano de todos os tempos. És da mesma opinião?
Eu acho que eu sou um jogador versátil e que pode ser utilizado em varias posições. Tenho talento mas ainda tenho muito para aprender! Não tenho dados históricos para confirmar, analisar ou tirar conclusões acerca da afirmação! 

É fácil ser-se basquetebolista em Cabo Verde?
Não é fácil. Eu tive muito apoio familiar, dos amigos e amantes do basquetebol. Ser basquetebolista em Cabo Verde requerê muito investimento tanto a nível pessoal como financeiro e material. 

O Bairro chamou-te a ti e ao teu irmão para jogarem no regional e nacional. Alguns clubes criticaram o que o Bairro fez. O que pensas disso de chamar atletas profissionais para jogarem aqui? 
Antes de mais queria esclarecer que não sou profissional. Tive uma experiência de meia época (3 meses e meio, de Janeiro a Abril deste ano) na LPB (Liga Portuguesa de Basquetebol). A desvinculação com a equipa de Sampaense ocorreu em Abril. Na minha modéstia opinião penso que a participação de atletas que militam em campeonatos estrangeiros é bem vinda. Geralmente, participamos nas fases finais dos campeonatos como forma de promover e incentivar o nosso basquetebol. Alias, de acordo com o regulamento da Associação Regional de Basquetebol Santiago Sul é permitida a inscrição de 2 atletas “estrangeiros” por equipa. Não esquecer que os vínculos contratuais dos atletas com as equipas estrangeiras geralmente terminam no final de cada época.

Jogar ao lado do teu irmao Joel Almeida tanto na Bairro como na selecçao da-te mais segurança?
Não é só segurança. É com enorme prazer que jogo ao lado do meu irmão, Joel Almeida, tanto no Bairro como na selecção. Sentimos muito motivados em dar o nosso contributo para a equipa ou selecção. 
video
Credito: Decio Barros

Neste Torneio de Zona II qual foi a equipa mais difícil?
A equipa mais difícil foi a do Senegal. 

Passamos no ultimo jogo sendo que podíamos ter passado antes, o que correu mal? Será que foi quando a FIBA tirou-nos três jogadores?
Para além de termos jogado o torneio com menos 3 jogadores o que influenciou mais a derrota foi o cansaço, falta de concentração e algumas falhas na implementação das estratégias do jogo.

Como ficou a equipa depois de perder os 3 jogadores? 
Cerramos fileiras e fomos a luta. A nossa preocupação era classificar para o AfroBasket 2013. Por isso, tivemos que focalizar nos jogos com os jogadores que estavam disponíveis.

Melhores momentos da selecção 
video
Credito: TCV

Depois do Torneio da Zona II é descansar ou ir já para o teu clube?
Agora é descanso. A questão do futuro clube esta por ser definida.

O que pensas dos outros cabo-verdianos que jogam basquetebol pelas outras selecções?
Em principio,  deviam estar a jogar pela nossa selecção. Desconheço as razões/circunstâncias que possam ter influenciado a tomada das suas decisões. 

Jogar na NBA é um sonho?
“desdi pikinoti”


Entrega do Prémio MVP do Torneio da Zona II
video
Credito: Decio Barros